8 de janeiro de 2023

Recados com Amor...

Meus Queridos! O meu rico Presidente Marcelo não pára em galho verde e lá foi ao Brasil à posse do Presidente Lula, com o qual conferenciou de forma relâmpago e entre o regresso da Terra de Vera Cruz… lá deu posse aos novos membros do Governo da República e 25 horas depois aceitou a demissão da Secretária de Estado da Agricultura e deu um pulo a Roma para se despedir do Papa emérito Bento XVI, onde esteve ao lado de outros chefes de Estado e de rainhas… que acompanharam no meio da multidão que acorreu à Praça de São Pedro para prestar a ultima homenagem ao  Papa emérito… Mas, antes, o Presidente mandou a lei da Eutanásia para o Tribunal Constitucional para apreciação dos juízes conselheiros… Depois Marcelo lá fez mais uns avisos à navegação governamental… e vamos esperar pelos próximos comentários jornalísticos para saber para que lado o Presidente caminha... Perante a situação difícil que se vive… valha-nos as notícias que o Presidente Marcelo vai dando nos seus habituais comentários e que dão para manter muitos telejornais!

Meus queridos! Ainda na passada semana dizia eu nos meus recadinhos que por muito menos sarilhos e desmandos, o Presidente Sampaio tinha demitido o Governo de Santana Lopes e dissolvido o Parlamento… Agora, o meu querido Presidente Marcelo o que sabe dizer é que não vai usar a “bomba atómica”, mesmo que na hora seguinte tenha de dar o mote para a demissão de mais alguém no Governo do primeiro-Costa, que já vai com 11 demissões em 9 meses e não sei se quando forem publicados este meus recadinhos se já não haverá mais alguma demissão. Esta da Senhora Secretária de Estado que exerceu o cargo por 25 horas…. é mesmo um sinal de desnorte absoluto…. Mas a minha comadre Maria do Amparo diz que a situação política que se vive mostra à evidência que não é fácil arranjar quem queira ser governante… uns porque não estão para ser enxovalhados ganhando o que ganha um Ministro ou um Secretário de Estado… e por outro lado, quem tenha tido qualquer situação na sua actividade privada e sem culpa formada…. é logo considerado caso de “lesa-majestade” embora a culpa vai para quem escolhe pessoas  sem provas dadas e por vezes incompetentes para assumir cargos de Governo, ou mesmo assessores e companhia. … Isso tanto acontece na Europa como em Portugal e aqui nos Açores… Como se diz, a conjuntura é difícil, e o pior, é para o povo que fica à mercê dos incompetentes que se afirmam donos e senhores do poder, sem decidir o que é preciso decidir e sobretudo responder quando são questionados por carta ou por email… Depois, tentativas de branqueamento e desresponsabilização não faltam sempre acompanhadas com desculpas esfarrapada… Assim vamos lá e cá…


Ricos! E já que estou a falar de bernardas, não posso deixar de referir o triste momento da Moção de Censura em que de todos os lados, menos de um, choveram as críticas ao que se está a passar no Governo e no país, mas na hora da verdade, ninguém tem coragem de dar um passo em frente, parecendo mesmo que há uma intenção de deixar cair de podre, em altura mais conveniente. Na verdade, a coisa descambou de tal maneira que quem vier atrás vai ter de gastar muito tempo e energia para juntar cacos, porque a impressão com que se fica é que entre um escândalo e o outro, parece que os protagonistas estão à espera de nova trapalhada para encobrir a falta de medidas para acudir às reais necessidades das pessoas e das empresas que, como bem escreveu na passada semana, em editorial, o simpatiquérrimo Director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, estão enterradas em problemas porque o Simplex prometido há anos se tornou num verdadeiro e atormentado Complex onde ninguém se entende… E é dessa realidade que os políticos fogem, como o diabo da cruz…


Ricos! A minha prima Gertrudes foi passar o fim de ano à Madeira juntamente com uns parentes… telefonou-me depois para contar como é que correu o espectáculo de fogo-de-artifício que marcou a passagem de 2022 para 2023, que segundo ela, … desbancou, como é costume… Mas continuando a sua visita à denominada pérola do Atlântico, contou-me Gertrudes que num jantar com várias pessoas amigas veio à fala as consequências deixadas pela Covid-19, entre elas uma que tem merecido grande apreensão e que se prende com os jovens madeirenses que mostram um comportamento triste e ao mesmo tempo ansioso, com perturbação do sono, instabilidade emocional e alguns chegam até à automutilação. Este quadro, que é muitíssimo preocupante, veio a público e descrito pela psicóloga Sílvia Brasão, que integra o Serviço de Atendimento ao Jovem no Centro do Bom Jesus. Lá lhe disse que tal situação não é só na Madeira e repete-se aqui pela nossa porta, embora os responsáveis governamentais perante a situação “assobiam para o lado” ou não querem ver a situação porque não sabem como debelá-la, e preferem deixar cada jovem entregue à sua sorte até ao dia que a desgraça fique fora de controlo da família e das escolas….


Ricos: Entramos no novo ano e com ele o agravamento do custo de vista que está pela hora da morte, com alguns a justificar a guerra, a pandemia e a inflação como causas deste desvario. Mas para alguns, quando se trata de celebrar não se olha ao dinheiro, a avaliar pelo que aconteceu por ocasião da passagem de ano. Acedi desta vez ao convite que me fez a minha comadre Cesaltina para ir ver o fogo-de-artifício na casa dela, que tem uma vista desafogada para a costa norte de S. Miguel. Qual não foi o meu espanto, ao ver a qualidade, a variedade e a profusão de fogo-de-artifício lançado naqueles minutos, tanto por autarquias, como por privados a rivalizar com as entidades oficiais, numa verdadeira leveza, e sem olhar aos custos escusáveis. A minha comadre Cesaltina disse-me que nos últimos anos o espectáculo tem vindo em crescendo e daqui a dias toda a costa norte competirá com o que se passa no anfiteatro do Funchal, em noite de entrado do novo ano, em que na Madeira se trata de um investimento público para atrair os milhares de turistas. Para alguns são minutos que servem para desafogar mágoas do ano velho…


Meus queridos! A reportagem publicada no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio em véspera do Dia de Reis, sobre o uso que foi dado às casinhas que a Casa dos Manaias implantou no Jardim Sena Freitas para a época do Natal diz muito bem sobre a triste realidade que atinge muita gente nesta ilha do Arcanjo. Elas serviram de dormitório a alguns sem-abrigo e ali se amontoou lixo à mistura com cartões e cobertores. A reportagem fala por si e mais uma vez mostra o poder das “sintéticas” que está a arruinar a vida de tantas pessoas. Claro ficou que os grandes “armazéns para sem-abrigo” não resolvem o problema, pois eles não querem mesmo ir para lá. Não há soluções milagrosas para um problema que está a criar raízes, mas é preciso acção na rua e sempre com coragem para lhes dar oportunidade de cura… Mas também é preciso força para ir ao outro lado do problema e aí sim haver mão dura da Justiça naqueles e naquelas que estão a ganhar milhões com a desgraça dos consumidores. Como está a situação… não pode continuar…


Ricos! A minha prima Maria do Pico telefonou-me esta semana para me dar os bons - anos e contar-me da brancura que cobriu a montanha em dias de Natal e Novo Ano, num espectáculo que é sempre esperado pelas gentes do canal. A meio da conversa disse-me ela que os “Amigos da Espalamaca” estão preocupados, pois com a demora que há na conclusão da recuperação da mais emblemática embarcação do canal está a fazer com que volte a degradar-se já apresentando bem visíveis sinais disso mesmo. Eu sempre fui de opinião que numa terra pobre como a nossa e com o pilim cada vez mais escasso…, não se pode ter a tentação de megalomanias para recuperar tudo e todas as coisas… Mas o caso da Espalamaca é diferente, pela história e pelo esforço que tem havido pela sua salvaguarda. Por isso mesmo, diz a minha prima, o melhor é esquecerem velhas políticas e pôr a dita cuja a salvo, que pode muito bem voltar a navegar, pelo menos de Verão e ser atracção de museu no Inverno. Meus queridos! Entendam-se antes que ela se desfaça…


Meus queridos! A minha sobrinha-neta, que gosta muito de andar pelas redes sociais, guardou e mostrou-me um vídeo com a gravação de uma audição na Assembleia da República, com deputados e o Presidente da NAV, sobre as falhas que se têm registado no ILS no aeroporto de Santa Maria. Numa determinada altura do debate e quando o deputado Paulo Moniz asseverava o que pode custar a falta de voos naquela ilha, parece que o Presidente da NAV começou a rir, o que fez o dito deputado perder as estribeiras e dizer com todas as letras que não permitia que alguém que vive sentado num gabinete em Lisboa se risse das dificuldades de uma ilha açoriana… O silêncio que se fez foi grande… Como diz a minha sobrinha-neta, que não lhe doa a garganta, porque nada como recado na hora certa… sobretudo para aqueles que andam de bucho teso pelos lucros que lhes caiu no regaço como as “rosas da Rainha Santa Isabel”, com a diferença, no caso,… ser das laranjas provindas do Governo da troika que precisava de dinheiro com pão para a boca… e lá deixou ir a ANA para os franceses… é o que há!


Meus queridos! Eu sei que a cidade de Ponta delgada pelo seu tamanho não é pera-doce para gerir, mas também sei que quem se candidata deve saber bem com o que vai contar… Isso vem a propósito da falta de limpeza com que nos deparamos pela cidade… que começa nas ruas onde a noite só termina de madrugada… até ao amontoado de lixo que fica nos contentores espalhados pela cidade…  Há que tomar medidas rapidamente no que diz respeito a higiene e limpeza numa cidade que foi candidata à capital da Cultura… Convinha que os responsáveis saíssem  dos gabinetes e andassem pelas ruas para  acompanharem as reclamações e sugestões dos munícipes. Há ruas da cidade onde as ervas crescem descontroladamente, onde o lixo se acumula e onde os dejectos dos animais são um perigo para quem anda nos passeios. À incúria e falta de civismo das pessoas não se pode responder com “deixa estar”. Multe-se quem deve ser multado, mas é muito triste ver pessoal da limpeza que simplesmente diz que “a minha categoria profissional é só para limpar folhas de árvores e papéis e não dejectos”… Se é para ir por este caminho, estamos bem amanhados…

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker