“Admiro que uma parte da nossa juventude  já aprecia o fado”, regista com agrado a  fadista amadora Graça Santos Prata Ler mais

“Admiro que uma parte da nossa juventude já aprecia o fado”, regista com agrado a fadista amadora Graça Santos Prata

Graça Santos Prata é uma fadista amadora que vive intensamente o fado e o fado corre-lhe nas veias, pois desde muito cedo começou a despontar para este género musical, elevado à categoria de Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO. É no silêncio da noite, com o mistério que a envolve, que se deve ouvir, com uma alma que sabe escutar o fado, que nos fala de sentimentos profundos e até se diz que o fado que faz chorar as guitarras. Quando canta, Graça Prata sente uma nostalgia e uma alegria por se encontrar, e estar a realizar uma coisa que lhe dá muita satisfação. Esta fadista micaelense canta de tal forma sentida com a sua voz de ouro, que encanta e deslumbra quem a ouve e se rende fascinados pelo seu fado. Ela tem como fadistas de eleição, a diva Amália Rodrigues e Ana Moura. Sem a sua bonita voz timbrada e sofrida, que põe qualquer alma a cantar, então não havia fado, nem fadista fascinante como ela é, como diz, aliás, uma letra que ela gosta de entoar e que põe a plateia atenta para ouvir uma verdadeira artista que vale a pena escutar e ser melhor divulgada. 

A nossa gente (224) – Helena Cymbron Ler mais

A nossa gente (224) – Helena Cymbron

Helena Cymbron passou a infância e parte da adolescência entre Lisboa e os Açores e acredita que foi benéfico esse contacto com culturas diferentes. Foi professora durante 33 anos e ainda hoje gostava que fossem implementadas algumas metodologias que encetou, como receber os pais ao mesmo tempo na sala para que se conheçam uns aos outros e designar os melhores alunos para apoiar os mais fracos. Dedica-se à família ao voluntariado, que gostava de fazer mais, mas também tem como missão deixar um lar para pessoas deficientes que não tenham já os pais vivos.

Theme picker

Revista Pub açorianissima