Presidente da República condecorou Vasco Cordeiro com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou ontem a condecoração do ex-Presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, com a Grã-Cruzda Ordem Militar de Cristo como um “gesto justíssimo” para a Autonomia dos Açores.
“É um gesto justíssimo enquanto manifestação de respeito a um dos princípios basilares do Estado democrático português e da Constituição da República Portuguesa que é a Autonomia específica da Região dos Açores, uma autonomia que é política, que é legislativa, que tem conhecido um florescimento, ao longo de décadas, essencial para o desenvolvimento económico, social, cultural e para a vitalidade democrática da Região, dos açorianos e, naturalmente, por inerência, de todos os portugueses”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.
O Chefe de Estado justificou também a condecoração “por razões também emocionais porque sabemos nós que uma governação regional, em si mesma, é complexa e difícil, mas tendo sido e foi ao longo dos últimos meses de modo muito significativo. A pandemia e as suas dramáticas consequências económicas e sociais impuseram um esforço de responsabilidade reforçada na governação também a nível regional e, também, especificamente, ao nível da Região Autónoma dos Açores”, disse e prosseguiu: “Quem pode acompanhar, como foi o caso do Presidente da República, par e passo, as vicissitudes tão complexas colocadas durante este período, pode testemunhar como há momentos que são momentos de solidão na tomada de decisões fundamentais na abertura maior ou menor ao exterior, na circulação entre as ilhas, na procura das melhores normas, da melhor disciplina sanitária. E não é só sanitária, porque tem a ver com consequências económicas e sociais da vida das pessoas. E como esse não foi um fenómeno curto de breve duração. Foi muito intenso e também isso justificava este gesto de que sou portador em nome de todo o povo português”, disse.
O Presidente da República disse haver uma terceira razão para a condecoração: “Vossa Excelência”, referiu Marcelo Rebelo de Sousa referindo-se a Vasco Cordeiro, “exerceu as funções de Presidente do Governo Regional durante um período importante para a vida da Região, para a vida de Portugal”.
“Antes mesmo do período pandémico, antes mesmo desta sobrecarga adicional”, realçou, “desempenhou as funções de forma a contribuir para passos importantes que foram dados na vida concreta dos açorianos, de todos os açorianos, nunca esquecendo, aliás, a diáspora, se nós somos um povo de âncora, os açorianos são-no por maior de razão. E nunca esquecerei esta dimensão”.
“Aqui há, portanto, mais do que uma, duas, três razões justificativas daquilo que é o reconhecimento do Estado português. E este reconhecimento honoro ainda em plena pandemia, ainda em plena crise económica e social, de uma forma muito intencional para que a memória de mulheres e homens se não esbatem com o passar do tempo e com as complexidades que ainda nos aguardam”, palavras do Chefe de Estado.
Daí, concluiu, “a condecoração atribuída, daí ter sido atribuída neste momento difícil de Estado de Emergência. A deslocação de Vossa Excelência até Lisboa e até Belém não tem a facilidade de outros tempos. Mas, por isto mesmo, é mais simbólico”, completou.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima