10 de janeiro de 2021

Recados com Amor...

Meus Queridos! Tenho recebido muitos telefonemas das minhas amigas que têm seguido a par e passo os debates para as eleições presidenciais daqui a 14 dias. Elas têm gostado dos frente a frente sobretudo aqueles em que entra o “Tino de Rãs” e o André Ventura, que parece um “elefante” numa sala de vidro… sempre pronto a partir tudo. Mas as minhas amigas estão muito preocupadas com as restrições causadas pelo agravamento da pandemia porque não sabem se conseguirão ir votar como era seu desejo… Não tenho resposta para tal inquietação e pelo que vê não se mexeu uma palha na preparação destas eleições. Os emigrantes ficam de fora, os idosos estão em confinamento e quanto aos cidadãos em geral, uns estão fartos das restrições causadas pelo vírus e com medo de saírem à rua para votar e outros pensam que os resultados estão feitos… Cá por mim tenho sempre medo da abstenção e dos estragos que ela poderá causar… Vamos aguardar porque faltam só duas semanas, e todos os dias há anúncios novos e opiniões que nos vão atemorizando cada vez mais…


Meus queridos! Anda toda a gente de cabelos em pé, e com razão, por via do alastramento do vírus que, depois do Natal e Ano Novo, está a vingar-se dos facilitismos e negacionismos de muita gente. Eu sempre defendi que não nos podemos deixar guiar pelo medo, mas uma coisa é o medo… e outra o respeito e a responsabilidade… Por isso mesmo, não posso levar à paciência que muitos reverendos tenham decidido, em pleno Inverno que é quando o bicho ataca mais, fazer comunhões e Profissões de Fé que, embora na Igreja possam respeitar as normas, … e bem sabemos que não todas,.. o mesmo depois não acontece quando em casa se juntam para a festa e no partir dos bolos, aquilo é tudo ao molho e fé em Deus. O problema não é a cerimónia em si. O pior é o que vem a seguir, e a prova está à vista. Por isso digo que o sinal devia vir de cima, e que me desculpe o meu querido Bispo João Lavrador, mas não consigo entender o facto do meu querido ter decidido retomar a visita a São Jorge com crismas e tudo… em plena pandemia e quase confinamento, sabendo que padrinho novo é festa de compadres e afilhados… A Igreja que maravilhosamente esteve na primeira fase agora não queira ser apressada, embora se saiba que as dificuldades são muitas e o pilim não cai do céu!

Ricos! Não sou mulher entendida nessas coisas de verduras, mas tenho visto alguns trabalhadores a limpar as ervas daninhas dos taludes da SCUT, e lá vão plantando uns pezinhos de trepadeira que quando pegar há-de depois estender-se e servir de esconderijo aos ratos. Entretanto, a minha sobrinha neta chamou-me a atenção de no talude que serve de saída do Paím para a envolvente a Ponta Delgada, está plantado um conjunto de cedros que está a crescer e vai formar uma bonita mancha verde… exemplo que se devia replicar ao longo dos taludes que confinam com as estradas geridas pelas SCUTs… Pode ser que a minha querida Secretária das Obras Públicas Ana Carvalho, consiga encaixar essa tarefa no contrato existente entre a Região e a empresa concessionária….     

Meus queridos! Esta semana e alertada por uma amiga de peito, vi o programa da RTP/Açores, “Histórias da Terra e das Gentes”, com assinatura dos meus queridos Vasco Pernes e Rui Machado. Com um texto magnificamente escrito e com diálogos fabulosos, imagens de arrepiar e diálogos de ternura e simplicidade, aqui está um programa que até me fez recordar o pioneiro “Pedras Brancas” de que nunca mais me esqueço… Agora e depois daquele irreverente e divertido “Mal-Amanhados” que até já deu origem a um belo livro que um dia destes irei comprar, a RTP/Açores que anda mirradinha de pilim, como toda a gente sabe, presenteia-nos com mais uma bela série que prometo seguir com toda a atenção. Desta vez andaram pelo Corvo e dali passaram por São Jorge e pela Graciosa, para acabar na Rocha da Relva, que teve como guia o meu querido engenheiro cantor Aníbal Raposo e sua esposa, com apetitoso caldo de peixe, sem nada de pão desidratado, como há dias vi noutro lado.
Um ternurento beijinho, por mais este belo programa…

Meus queridos! O maior sinal de que estamos a envelhecer é quando vemos desaparecer as referências com que nos criámos. Esta semana li no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio que na cidade de Ponta Delgada fechou a velha Loja dos Alemães, depois conhecida como a Loja da Preta e que durante mais de seis décadas esteve nas mãos da família Dias. Todas as vezes que ia daqui da minha cidade-norte a Ponta Delgada, olhava aquelas montras sempre tão cheias e variadas com coisas que só anos mais tarde apareceram com a invasão das casas chinesas. E também no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio soube da morte do meu querido e sempre simpático oculista João Mendonça, uma referência no comércio citadino e única no seu espírito e feitio simples e acolhedor. Para os seus filhos, continuadores da empresa, e para toda a família o meu beijinho de pêsames, cheio de boas recordações.

Ricos! Na semana passada falei aqui nos meus recadinhos na caçada selvagem de veados e javalis, numa quinta, lá para os lados do rectângulo e disse logo que aquilo tinha água no bico e pelo andar da carruagem tem mesmo, … porque a morte dos bichos parece que era condição para lá instalar um parque de painéis foto voltaicos e não sei que mais… É coisa dos tais negócios verdes que a gente ouve falar como coisa boa e necessária para bem do ambiente… mas pouco ou nada se ouve quanto aos malefícios que tais investimentos causam à agricultura, porque exigem grandes aéreas para se instalarem, isto sem falar no impacto ambiental que os vários quilómetros de painéis causam aos residentes e não só…. Mas a melhor no meio disto tudo foi o Ministro ter vinda dizer que dois dias depois ia reunir com o Conselho Nacional da Caça, para estudarem medidas e saber o que fazer… Claro que o Ministro não queria reunir com ninguém, porque até o dito cujo Conselho da Caça está extinto há mais de 20 anos… Mas com papas e bolos, o resto toda a gente sabe, como sabe também que a arte do Governo é criar todos os dias um caso novo para esquecer o da véspera…

Meus queridos! PAN e BE uniram-se numa cruzada para fazer com que se antecipe a proibição de abate de animais abandonados nos canis. E eu acho muito bem, e até felicito a Presidente da Câmara da Lagoa Cristina Calisto que já conseguiu esterilizar mais de meio milhar para que, vivendo, ao menos não se reproduzam. Mas o que me faz espécie é que os ditos panistas e bloquistas digam que se os serviços oficiais não conseguem dar conta do recado podem fazer parcerias com clínicas e pet shops privados para cuidaram dos bichos… Mas não são esses mesmos partidos que na saúde dos humanos não querem que se fale em parcerias público-privadas? Vou ali e já venho!

Ricos! A minha prima Teresinha que é muito certinha nessa coisa de IRS, porque uma vez que se esqueceu de entregar, o fisco caiu-lhe em cima e levou-lhe couro e cabelo em multas e juros, foi logo nos primeiros dias do ano validar as suas facturas de 2020, como manda a lei. E no site das Finanças a resposta que teve durante dias foi que já tinha passado o prazo e já não era possível validar facturas e as despesas a deduzir já estavam fechadas… Lá foi ela informar-se e nas Finanças disseram que foi um erro informático e que ia ser corrigido e poderia validar as facturas até Fevereiro. Pois… e se ela não fosse informar-se? Ficava assim mesmo… Há avarias muito convenientes… mas é sempre para o mesmo lado!

Meus queridos! A minha prima Maria da Praia telefonou-me esta semana para falarmos sobre o começo do ano novo e acabamos falando em política, coisa para a qual não estou muito virada, mas Maria da Praia lá falou da guerra do alecrim e da manjerona feita pelo Tiaguinho enfermeiro contra o Secretário da Saúde Clélio Meneses… O agora deputado Tiaguinho não faz outra coisa senão convocar o Secretário para se explicar na Assembleia Legislativa sobre as medidas tomadas ou a falta delas…para conter o alastramento da Covid-19… Já viram se na anterior encarnação, o PSD/A andasse a chamar o Tiaguinho autoridade da Saúde para ir justificar ao Parlamento todas as medidas que ia tomando? Percebe-se que o enfermeiro Tiago Lopes tenha saudades do seu antigo cargo que tantas fãs gerou… mas o rico tem de fazer um esforço para encarnar o novo fato de deputado… A minha prima Maria da Praia acha que o amadurecimento vai chegar com o passar do tempo…  

Ricos! Mas a minha prima Maia da Praia não se ficou pelo Tiaguinho, e lá desfolhou a sua opinião quanto ao pedido do sempre frenético deputado do Corvo Paulo Estêvão quanto à proposta que fez para resolver os problemas de abastecimento no Corvo, anunciando que a solução é fazer mais um porto na ilha, para quando o mar estiver de um lado, o navio poder ter alternativa de encostar do outro… Maria da Praia diz que a situação resolve-se com melhor logística com  armazéns e parque de contentores, além de mais capacidade de tancagem para os combustíveis e frio para víveres que dêem para mais tempo do que actualmente. E que tal por o Fundo de Abastecimento a ajudar os privados a fazerem os investimentos necessários para acautelar as partidas causadas pelas invernias que atacam todos os anos o Grupo Ocidental? Será mais rápido e mais barato….

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima