22 de março de 2020

Recados com Amor

Meus Queridos! Esta semana não tive o gosto de entregar em mão os meus recadinhos ao Director do Jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, enviando-os por correio electrónico, apesar de saber que ele e a sua equipa redactorial se mantêm diariamente no seu posto de trabalho. Com este gesto, o que fiz foi corresponder ao esfalfado incentivo feito pela simpática repórter de serviço de informação diária… sobre o andamento do Covid-19 em Portugal, que é Directora Geral da Saúde, Graça Freitas, e que começa a ficar gasta de muito aparecer… A semana que passou, foi estonteante com os relatos ao minuto sobre o avanço do coronovirus e dos estragos que tem feito cá e lá… Aproveito, a este propósito, enviar um repenicado beijinho ao meu magnífico amigo Professor Vasco Garcia pela lição que publicou na edição do Correio dos Açores de ontem acerca da doença do ano 2020 e intitulado “Víruminudências”… Mas voltando à semana, passaram-se coisas do arco da velha… e dão para com tempo fazer um filme… O Covid-19 chegou em força. Os candidatos a candidatos à Presidência da República começam a pôr a cabeça de fora… Marcelo Presidente entra de quarentena e do esconderijo em Cascais lança um petardo convocando o Conselho de Estado para decretar o Estado de Emergência em Portugal, coisa nunca vista durante a III República. Paralisa a vida económica e social no país e abre o caminho à pior crise do século XXI. O Primeiro-ministro António Costa, apesar de não gostar, acaba por ceder ao gosto do Presidente e torna-se a seguir o mais feroz defensor do Estado de Emergência, anunciando antecipadamente a sua prorrogação… O Presidente da República fica como o corajoso e o Primeiro-ministro vai ficar como o obreiro da pior crise que segue dentro de momentos…. Os ganhos e as perdas políticas ficam com os políticos… mas a crise económica e social vai ficar com os cidadãos…. A pandemia é um flagelo e aparece de vez enquanto, e a última que apareceu foi em 2009, o vírus H1N1, a chamada a gripe A, que foi declarada pela OMS como pandemia porque atingiu o globo como acontece agora com o Covid-19. 
No meio disso tudo, … vieram à baila as Autonomias… com o Presidente da República e o Primeiro-ministro a fazerem coro quanto à coesão territorial entre Portugal continental os Açores e Madeira… Um disparate pegado! A minha prima Ernestina telefonou-me a perguntar quando é que a República vai começar a construção das pontes entre o Terreiro de Paço e as nove ilhas dos Açores… para ficarem territorialmente unidas e coesas, com o todo nacional… tal como o milagre feito pelos chineses que estão unindo Macau e Hong kong com o continente chinês… Esta pandemia veio pôr a nu o centralismo que está sempre à espreita para pôr as garras de fora. Se os açoreanos não se acautelarem qualquer dia dão por si e passam a estar de pés e mãos amarrados ao Terreiro do Paço!.... Não se cuidem e depois queixem-se !

Meus queridos! Mesmo no meio da crise e emergência que estamos a viver, há velhos feitios que não mudam ou que não se perdem com o passar do tempo…. Foi o que me veio à cabeça aqui há dias… depois de ver uma reportagem da RTP/Açores que foi saber, e bem…como estava o ambiente em diversas Ilhas e recolher as opiniões populares de como se estão a precaver contra o coronavírus. Uma destas ilhas foi, como não podia deixar de ser, a do Pico… e a reportagem mostrou algumas imagens da bonita Vila da Madalena, ouvindo por lá algumas pessoas. Tudo bem para quem viu a reportagem… Mas o que me espantou foi saber depois os comentários dos “sabichões da treta” que logo começaram a aparecer nas redes sociais e noutros lados, bolçando impropérios contra a estação de televisão e seus repórteres, porque no Pico são três concelhos e não deviam ter feito uma reportagem só com a Madalena, por lá ser o embarcadouro e desembarcadouro do Pico. Já viram por exemplo os lagoenses e os vilafranquenses travarem-se de razões por causa das reportagens que a comunicação social faz em Ponta Delgada ou Ribeira Grande deixando os outros concelhos de fora? Isso é tacanhez doentia… e julgava eu que esse bairrismo pestilento pertencia ao passado…. Mas enganei-me! É por essas e por outras que não vamos a lado nenhum, ricos! Se ficam tão ruins por dois minutos de televisão, dá para ver o resto. Nunca mais aprendem.


Ricos! A minha prima da Rua do Poço que tem feito uma quarentena voluntária porque com a sua idade e com as dores nas cruzes que a moem… deixam-na em recato cumprido… as medidas decretadas, por via do dito cujo corona… A dada altura começou a faltar os remédios que ela tem de regularmente tomar, e andava aflita sem saber como ir buscar os tão necessários medicamentos… Resolveu então ligar à prima Maria de Jesus e no correr da conversa Jesus lembrou-lhe que ela era sócia da Associação de Socorros Mútuos… e a farmácia da dita associação, para quem não pode deslocar-se, presta o serviço de levar os medicamentos a casa, sem qualquer custo… Assim foi e a minha prima da Rua do Poço  teve o problema resolvido, e pediu-me para mandar um ternurento beijinho à Associação, na pessoa do seu Presidente Henrique Teixeira… pela eficiência do serviço e pela atenção de quem recebe os pedidos e os executa e também de quem os distribui, com todos os cuidados e recomendações e até com terminal de multibanco para quem paga por quele meio, aceitando ainda cheques ou dinheiro. Encontrar respostas para tempos difíceis é próprio de quem sabe gerir. Aqui fica o ternurento beijinho pedido pela minha prima…


Meus queridos! Eu sei que para muita gente é triste e difícil ficar em casa e não viajar… sobretudo para aqueles que a viagem é uma obrigação… Mas o que me custa a entrar na mioleira (talvez seja pela idade)…  é como ainda há quem tenha dúvidas se este é o caminho certo… Quando ouvi a Ministra da Saúde dizer que ainda há gente que entope a linha Saúde 24 para perguntar se têm mesmo que anular as férias de Páscoa e a viagem que já marcaram e pagaram, fico para Deus me levar… Como é que há gente que ainda não entendeu que viajar neste momento é o pior que se pode fazer e já basta aqueles que o fazem por motivos de força maior! Por isso mesmo, eu que nunca fui muito com a cara do Ministro dos Negócios Estrangeiros Santos Silva… até lhe dou razão quando ele diz que governo, embaixadas e consulados não são agências de viagem. Quem resolveu viajar, assuma os riscos. Pobres dos que estão fora por outros motivos, de trabalho, doença e estudo!


Meus queridos! E já que estou a falar em viagens, lembrei-me de um recente editorial do simpatiquérrimo director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio em que dizia que no meio de tantos fundamentalismos ambientais que por aí vão, esqueciam-se sempre do turismo e dos que “fazem do avião a sua casa” e que são dos maiores poluidores do planeta. E é verdade. Por isso mesmo uma das melhores frases que li recentemente, naquelas horas em que só apetece um chazinho com um biscoito da Ribeira Grande, dizia precisamente que “a Greta já pode ir para a escola… porque o coronavírus em poucas semanas fez no ambiente o que não fizeram cimeiras e manifestações desde há anos”… E tudo porquê? Porque a ordem é ficar em casa. Afinal… a Nse -atureza também se sabe cuidar e há sempre uma força cósmica para pôr as coisas no seu lugar…e seria bom que as pessoas não esquecessem que acima delas há algo que as criou e sabe de quando em vez como se põe sal n moleira… 


Ricos! Como já disse na semana passada, deixei de ir ao Domingo à minha Missa das onze e agora vou seguindo na televisão aquilo que se vai transmitindo para quem quer ouvir. E ainda no Domingo passado se lia nas missas aquela passagem que dizia que tempos virão em que Deus será adorado não nos templos mas no coração de cada um. E é mais ou menos o que agora está a acontecer. Pela internet e pela televisão, a cada hora há momentos de oração e há padres que têm um particular jeito para comunicar com simplicidade e interioridade. E o Papa Francisco acaba de dar um sinal que só quem crê verdadeiramente pode entender. A absolvição geral que é doutrina da Igreja desde há séculos, e que se aplica em momentos especiais de catástrofe, foi agora decretada para os casos desta doença, e muito bem. Porque para quem acredita, sabe-se que é Deus que perdoa, mas perdoa através da Igreja, cumprindo aquele “a quem perdoardes serão perdoados”… Por mim, fico contente com a decisão, sinal de uma igreja mais ágil, porque o tempo não é para confissões auriculares…


Ricos! Eu sei que isto não é tempo para fazer política, mas há tanta gente desorientada sem saber o que fazer com os seus trabalhos e empresas que é preciso clarificar isto depressa. Não é só passar os dias a enunciar medidas e na prática ninguém se entender. É que eu estou bem lembrada de há alguns anos ter havido uns grandes temporais nos Açores, com milhões de euros de prejuízos, para particulares, Governo e autarquias, e Passos Coelho mandou que fosse à Banca e que iria arranjar forma de dispensar os juros. Agora também ouço falar em tanta linha de crédito que não sei se isto é mais um respiradouro para os bancos do que solução para as empresas. É que já há muita gente com incerteza de ter ordenado no fim do mês…

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima