8 de março de 2020

Recados com Amor

Ricos! Isso é que vai por aí um alvoroço com o coronavírus… que anda a infectar vários continentes e milhares de pessoas …. Até as bolsas de valores… e a economia mundial…não escapam ao vírus… e no caso destas, quem sabe da matéria diz que há muita gente à volta do planeta  a enriquecer à custa dos estragos que o coronavirus está a provocar, … provando-se assim que basta um espirro para deixar os mercados e a economia à beira de uma pneumonia grave… Os Açores também já entraram na dança e foi uma dor de cabeça dos diabos descobrir as cadeiras dos aviões e dos barcos da Atlânticoline por onde andou e esteve sentada a médica portuguesa que veio prestar serviço a várias ilhas do Grupo Central… e que se suspeitava estar infectada com o coronavírus... Os doentes que ela consultou foram passados a pente fino… e por pouco não foi levantado um processo para averiguar se houve dolo por parte da médica, na eventual propagação da doença… que felizmente não se veio a provar… Infelizmente, muitas pessoas por esse mundo fora já faleceram por causa da epidemia, mas é preciso lembrar que todos os anos a gripe ceifa largos milhares de pessoas, e só no termo do período gripal é que vamos saber qual foi a fatia que ficou a dever-se ao coronavírus. Sem minimizar os risco da doença… penso que não vale a pena entrar em pânico, pois o que se deve é seguir à risca os procedimentos cautelares que os especialistas de saúde têm aconselhado como meio de prevenção… Cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a alguém!  


Ricos! A SATA começa outra vez a estar como diz a minha prima do Capelo, no olho da panela. Desta feita é por causa do tipo de aviões que vão voar para a Horta no Verão IATA, e que representam um decréscimo nos lugares disponíveis para aquela ilha… Percebo a reclamação porque o número de voos não aumentam e daí a justa reclamação… Tenho de dizer que os faialenses, na contenda com a SATA, nunca empurraram culpas para os micaelenses, como é hábito os merceirenses fazerem… Estou muito satisfeita com o anúncio dos novos voos da SATA Terceira/ Boston e Terceira/ Paris e só espero que se o resultado não for o desejável… venham depois responsabilizar os micaelenses do insucesso! É como diz a minha prima Maria da Paria… é uma cruz que São Miguel tem de carregar!


Ricos! Ainda há pouco tempo e depois de uma audiência com o meu querido Presidente Vasco Cordeiro, o responsável máximo pelos CTT queixava-se da SATA e da TAP a quem responsabiliza pelos atrasos de cartas e encomendas do exterior para os Açores e mesmo inter-ilhas. Depois de ter lido no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio que em 2019 foram apresentadas mais de oitenta mil queixas contra os CTT, a nível nacional, perguntei a mim mesma a quem vai a empresa culpar? Se calhar a culpa é da Carris ou da CP. Se para os Açores culpam os aviões… só pode… É que isto dá mais de duzentas queixas por dia, o que prova como as pessoas estão satisfeitas com os serviços prestados pelos CTT depois da sua privatização... Isso para não falar no horário em que é feita a distribuição do correio pelas empresas situadas na baixa de Ponta Delgada… Tenho recebido queixas de várias empresas contando que o correio chega-lhes depois das 12h40, altura em que estão encerrados para almoço, e se se trata de correio registado… lá têm que mandar levantar dois dias depois aos balcões dos CTT, onde a pessoa que lá vai fica por vezes na bicha… mais de duas horas para ser atendida. Espero que o meu querido Presidente Vasco Cordeiro tenha posto os pés à parede… perante a desfaçatez do dito administrador dos CTT… A minha prima da Rua do Poço que nunca esquece a traição que lhe fizeram ao fechar e estação da Calheta diz que ainda não percebeu a razão pela qual o Governo de António Costa não tomou a decisão de accionar a cláusula de reversão contratual… que existe no contrato de privatização e no qual se determina o regresso do serviço postal ao Estado, caso se prove a má qualidade dos serviço postal a cargo dos CTT. … Com 83% de todas as 100 mil queixas apresentadas à ANACOM, queixando-se do péssimo serviço postal… não chega para o Governo tomar uma medida em defesa dos que se servem dos CTT?...


Ricos! Afinal a minha prima da Rua do Poço pode ficar descansada que o prolongamento da Avenida D. João III até à Avenida João Bosco Mota Amaral é coisa para o ano de 2025 mais ou menos. Quem ler atentamente o plano que a Câmara do meu querido Presidente Humberto Melo divulgou e que tem o bonito nome de PERU vê que a reabilitação da Calheta e mais o Mercado da Graça e da Avenida é coisa para se ir fazendo nos próximos anos, mas quem ouve falar naqueles milhões todos duma vez até pensa que está na hora da limpeza. Até parece que regressamos aos tempos dos célebres Planos de Urbanização desde o tempo dos esbocetos de Nereu Fernandes, para (quase) tudo ficar como dantes. Por isso agora espero para ver, porque para desgraça já basta o mamarracho das galerias e a falta de coragem de intervir na Avenida litoral… O resto é futurologia!


Meus queridos! Para quem fala todos os dias das desgraças e da pobreza e dos sem-abrigo de Ponta Delgada e de outras partes dos Açores, talvez fosse bom que lessem a notícia que eu li e que diz que no País de Gales, em 8 meses foram encontradas 109 pessoas a dormir em contentores de lixo, muitas delas crianças. Não é que o mal dos outros nos sirva de consolo, mas é bom pensar que afinal há bem pior, mesmo em países altamente evoluídos, porque quanto mais progresso mais desigualdades… Sempre foi assim. Até a minha prima Teresinha, ao ler a notícia, disse-me que o meu querido padre dos pobres… Monsenhor Weber Machado Pereira, se fosse uns aninhos mais novo, ia ser bem preciso lá para os lados do País de Gales… E era Homem para isso!


Meus queridos! No passado Domingo, com um tempo maravilhoso, saí daqui da minha Rua Gonçalo Bezerra e fui ver a Procissão dos Terceiros da minha cidade-norte, este ano com muitas centenas de pessoas e com a cidade cheia para participar. Sei que as procissões penitenciais estão cada vez mais tornadas em momentos de reconstituição histórica, mais do que devoção e penitência. Mas é preciso pensar que religião também é cultura e pela cultura também se chega ao sobrenatural. Por isso mesmo está de parabéns toda a organização, que não é nada fácil e dá muito trabalho e também aqueles que recriaram alguns aspectos das vivências antigas e que desfilaram na procissão que cada vez está mais bonita. E também foi bonito ver a presidência da procissão entregue ao Reitor do Santuário da Esperança, já que o Senhor Santo Cristo dos Terceiros foi a primeira grande devoção de Madre Teresa que depois se entregou ao culto do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Assim vale a pena.


Meus queridos! Um dos cartões-de-visita que marca qualquer terra é a culinária e os bons restaurantes que possam existir e também o bom serviço. A minha prima da Rua do Poço há poucos dias estava à espera da Bertinha ali para os lados da Calheta, quando viu sair um grupo de meia dúzia de pessoas do novel restaurante TIXICO, instalado no edifício da velha Marisqueira Açores… (que foi à época um projecto arrojado para liderado pelo empresário e querido amigo José Miguel Tavares)... O grupo atravessou a rua e começaram a fotografar o exterior do restaurante e os arredores. Pela pronuncia percebeu que eram do rectângulo. E diziam que tinham de levar as fotos para dizer aos amigos lá na terra onde deveriam ir comer um dia que viessem aos Açores, pois ali tinham encontrado comida e alegria. Foram estas as palavras. A minha prima da Rua do Poço não sabe o que os comensais lá degustaram, mas ela ficou a pensar que deveras a melhor publicidade é a que resulta da qualidade. Parabéns, meu querido Tio Francisco Branco!


Ricos! Já muitas vezes tenho dito aqui nos meus recadinhos a falta que faz um abrigo ou um toldo à entrada do serviço de medicina de reabilitação do Hospital do Divino. Quem vai ali para fazer fisioterapia ou terapia ocupacional são pessoas que não podem andar, ou andam de canadianas ou em cadeira de rodas. Pouco a pouco chegam ambulâncias e carros de transporte de doentes dos bombeiros e centros de Saúde. Se está a chover molham-se os doentes e molham-se os profissionais que os têm de tirar dos carros ou que os lá têm de colocar. Isto para além do piso estar uma desgraça, próprio para uma boa queda. A gente sabe que não há pilim, mas aquilo é uma questão de pouco dinheiro e muita vontade de mudar algo que está mal desde sempre. A minha prima Maria do Amparo já me disse que qualquer dia vai juntar-se aos amigos do Hospital para fazerem uma subscrição publica para angariarem o dinheiro necessário para fazerem o abrigo… Vou talvez pedir também a um arquitecto amigo que faça um esboço adequado e enquadrado no edifício para servir de base à petição e subscrição publica…Tenham dó!
 

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima