9 de novembro de 2019

Do meu olhar

Nordeste : tal e qual ! (4)

1.  Já tentamos anteriormente propor alguns passeios ao Nordeste, com circuitos diversos e com interesses variados para apreciação das potencialidades deste concelho da ponta da ilha, cuja riqueza ambiental é de grande valia, a paisagem é soberba e as tradições e vivências do seu povo ainda continuam a marcar a nossa própria história. O Nordeste é um pedaço da ilha diferente dos demais avultando desde logo a montanha e as soberbas ribeiras que atravessam a  área concelhia em direção ao Atlântico, longo, profundo e distante. É por isso que a sua paisagem é sumptuosa e uma autêntica maravilha da natureza. Muitos escritores nordestenses relataram a sua singularidade e encanto e os poetas cantaram maravilhados a sua beleza. Um deles, Dinis da Luz, fê-lo de forma brilhante. Conheci-o bem na sua última etapa neste mundo, pois ele era da terra onde nasci e me criei, o Nordestinho. Agora há a mania de se publicar que a  “ minha ilha é... “, solicitando uma avaliação à mesma. Eu próprio respondi, como o fizera o ilustre jornalista, padre Dinis da Luz, quando ele vivia em Lisboa, a meados do século passado: sou açoriano! Naquele tempo ele dizia com orgulho que, em Lisboa, era dos Açores, que nos Açores era de São Miguel, que em São Miguel era do Nordeste , que no Nordeste era do Nordestinho e que no Nordestinho, de São Pedro seu orago, era do Burguete ( abaixo da Igreja ), lugar onde nascera, uma vez que residiu  no Outeiro ( acima da Igreja ), com a sua família, sempre que ia à sua aldeia natal.

2. Vamos então propor uma nova viagem ao Nordeste, a começar precisamente no Nordestinho que, em anos recuados, abarcava São Pedro, Santo António e Algarvia e que hoje são três pequenas freguesias com rosto de aldeias , muito características, com suas tradições e costumes e até seus próprios sotaques. Por Algarvia é o acesso mais conhecido e apropriado para se chegar ao Pico da Vara com a altitude de 1105 metros, um passeio longo e exigente, mais para gente nova, que requer organização prévia, mas que proporciona o deleite das mais belas vistas e o contacto com a ilha virgem, sumptuosa e imponente, capaz de rasgar sentimentos de ilusão e de beleza incomparáveis, do mais alto da ilha, na imponência da montanha que rasga horizontes que se estendem ao outro lado da ilha. Para registar e não esquecer! No regresso à Algarvia é tempo de optar por novo circuito e novo passeio para uma data mais conveniente para cada um dos participantes. Na própria freguesia há locais de interesse para visitar, a começar pela belíssima”  Vigia  da Baleia “ , sobranceira ao mar e por cima de uma antiga cascalheira de saibro vermelho que serviu de pavimento para estradas e caminhos durante séculos! Depois, em direção à Vila, é quase obrigatória uma paragem no miradouro, que está assinalado, um pouco antes de descer a íngreme mas sumptuosa  “ Ribeira Despe-te-que suas “  que, depois, oferece um outro ângulo de visão no fim da subida para Santo António, recanto chamado  “ Borda da Ladeira “ , com vista magnífica para os lados de Achada, com larga extensão de costa  alta e escarpada e o mar a bater na rocha com a sua característica espuma branca!

3. Estamos no Nordestinho e é preciso tempo para o visitar com olhos de ver. Santo António possui a maior Igreja do Nordeste e  é uma das maiores da ilha, que é interessante visitar, como já o referimos anteriormente. Há um trilho que dá acesso a uma antiga fábrica de chá e um outro que atravessa para São Pedro, e mais à frente podem visitar a lendária Ermida da Senhora do Pranto também já referida. Terras, campos e pastagens, a ruralidade mais genuína e familiar que se aprecia com curiosidade, uma terra que já foi de grande produção de trigo debulhado na planície de acesso à Senhora do Pranto. Toda esta zona é muito rica em floresta, é montanhosa e polvilhada de ribeiras, grotas e pequenas nascentes.
Vamos terminar esta proposta de passeios com a  paragem na ridente Lomba da Fazenda, a freguesia que fica antes da Vila e aí até podem optar por almoçar no restaurante da localidade, com saborosa comida caseira , que fica mesmo antes da Igreja da Senhora da Conceição. É a freguesia do conhecido e apreciado pão caseiro e massa sovada e também mantém um interessante trilho que é também sobranceiro ao mar e que merece a pena percorrer pelo reconhecido interesse da paisagem e do ambiente requintado! E, estou certo, que vão sentir vontade de voltar !

 Junto ao mar que nos rodeia e nos acalenta, Novembro de 2019

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima