20 de outubro de 2019

Recados com Amor

Meus Queridos! O meu querido Secretário Rui Bettencourt anunciou esta semana que as Casas dos Açores espalhadas por esse mundo além, vão reunir-se para o ano na ilha onde tudo começou, ou seja em Santa Maria… E no seu discurso, nas Bermudas disse que o ano de 2019 “ficará marcado para a história na construção da ideia de Povo Açoriano”. Quando li esta frase no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, fiquei a pensar na “conversão” que tenho visto por aí quando se referem ao “ Povo Açoriano”. Não estou a falar no meu querido Secretário Rui Bettencourt, que sempre vi como Autonomista convicto. Mas penso naqueles para quem falar de Povo Açoriano era crime de lesa-pátria e rotulados desde logo como perigosos separatistas… E até me lembro da indignação que manifestei aqui em recadinhos publicados no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, quando lá para os lados de São Bento, Ratton e Belém, chumbaram a expressão “Povo Açoriano” no Estatuto Autonómico, o tal que fez um Presidente da República interromper as férias para dar cavaco de que ia vetar o documento que já tinha passado todos os crivos regionais e nacionais. Por isso, agora fico contente quando oficialmente ouço falar em Povo Açoriano. E espero que numa revisão de Estatuto ou da Constituição, a expressão possa ficar consignada no corpo das leis fundamentais, isto numa altura em que em França já há escolas públicas a ensinar os dialectos regionais, como o bretão, o flamengo, o corso e o basco, coisa que foi proibida em França durante mais de um século! 
 Esta questão do Povo Açoriano foi sempre uma pedra no sapato do centralismo e recordo  para lembrar aos que não são dados às coisas a história,… que na altura da apresentação do texto respeitante ao capitulo das autonomias na Assembleia Constituinte… o Deputado João Bosco Mota Amaral justificando a posição do seu partido disse:
Porque se trata de comunidades dotadas de características próprias, é indispensável reconhecer-lhes o direito de conduzirem, em toda a medida de que forem capazes, os seus destinos, exprimindo plenamente a sua personalidade e contribuindo assim para o enriquecimento do todo nacional….
Enquanto isso, e na primeira intervenção do debate na generalidade, o Deputado Américo Natalino Viveiros e agora Director do Jornal que tão generosamente me acolhe apresentou-se dizendo:
Estando em discussão um novo capítulo que entendo importante, quer pelo alto significado político que ele tem, quer ainda pelo marco histórico que ele representa na vida dos Açores, gostaria de sobre ele me debruçar, como legítimo mandatário do povo Açoreano.
Isto para dizer que há muito, e em vários areópagos se fala do Povo Açoriano… coisa que esmoreceu nas últimas décadas… Cá por mim, acho que tem faltado no discurso oficial, a vários níveis, falar para os açorianos sobre o Povo Açoriano…. que parece mais virado para a globalização e menos preocupado com  o seu futuro e com a defesa dos interesses das suas ilhas. Oxalá que esse ajuntamento das Casas dos Açores traga da diáspora o sal da açorianidade que tem faltado cá em casa…

Ricos! Isso é que vai para aí uma agitação nas hostes laranja, depois de Alexandre Gaudêncio ter anunciado que vai pedir novas eleições para a liderança do Partido… O antigo Secretário-geral e conhecido advogado cá da praça, Ricardo Pacheco, já se declarou candidato ao cargo, mas pelos vistos terá de disputar a liderança com o próprio Alexandre Gaudêncio, que não disse que não seria recandidato ao cargo… Pelo que me disse a minha prima Angélica, que sabe dessas coisas da política, quem anda em apuros… é o eterno desejado José Manuel Bolieiro, que está a ser “pressionado” pelo PSD nacional a avançar para a liderança do PSD nos Açores! Estou para ver se é dessa que o empurrão em Bolieiro consegue torná-lo candidato, porque até agora todas as tentativas têm mantido Bolieiro no mesmo lugar! Isto é dois passos à frente e dois atrás!...


Meus queridos! Quero mandar um ternurento beijinho para todos quantos dirigem e trabalham na Santa Casa da Misericórdia da Maia, sucedânea da Irmandade do Espírito Santo da mesma freguesia, que este ano comemora os seus 100 anos… e desejar todas as felicidades para o grande trabalho que desenvolve nas freguesias da sua circunscrição. Muito gostei de ver as fotografias do jantar comemorativo que marcou a data. Estranhei a falta do antigo Provedor, Afonso Quental, que durante muitos anos esteve à frente dos destinos da instituição e que muito contribuiu para o seu dinamismo e crescimento, pois não o vi em retrato nenhum dos muitos que foram divulgados. Até pensei que se tinham esquecido de lhe mandar um convite ou fazer um telefonema, mas ao que me disse uma vizinha daqui da minha Rua Gonçalo Bezerra, o antigo Provedor estava ausente da ilha, num Congresso lá para os lados do rectângulo… É que me custaria acreditar que fosse o contrário, porque acho que reconhecer o passado, mesmo nas diferenças é um acto de justiça de gente que se preze.


Ricos! Esta coisa de andar de avião já conheceu melhores dias e hoje quem precisa de viajar, anda sempre de coração nas mãos. Basta ver mais uma greve na moribunda SATA os atrasos que tem dado nestes últimos dias e a barafunda que vai por aí. Até parece que há quem queira roer o osso até ao fim… Mas também com o que se vai vendo para aí, nada é de admirar. Agora também a TAP já dividiu a chamada classe económica em duas, com cadeiras verdes e cadeiras vermelhas. Quem quiser o luxo de se reclinar ou esticar as pernas, tem de pagar mais duas ou três dezenas de euros e ficar contente porque vai ter um lanche melhor do que o snack dos “cadeiras verdes”. Ou seja, as companhias de bandeira já aprenderam com as low cost que tudo se vende… até o próprio papel higiénico… Estou a ver o dia em que até se vai poder viajar em pé e se quiseres cadeira, pagas por ela… A gente sabe que as guerras comerciais dão nisto, mas também não precisa abusar. Ou acabem com as companhias de bandeira e com a sensação de respeito que inspiravam…


Meus queridos! O meu querido e sempre dinâmico Monsenhor Weber Machado Pereira completou no passado dia 6 deste mês os seus 88 anos. Para ele vai o meu ternurento beijinho de parabéns e que continue com a mesma vida e a mesma força na defesa dos seus ideais e dos mais desfavorecidos. Como os anos vão pesando, o chamado Padre dos Pobres achou que era chegada a hora de deixar o serviço que vinha prestando, dando o jantar aos sem-abrigo, na Rua dos Manaias, como vinha fazendo desde há anos, e antes ainda, quando os jantares eram servidos no “Jardim da Zenite”. Fazia-o às Terças, Sextas e Sábados, havendo outros grupos para os outros dias. A despedida foi no dia 5 de Outubro… Só faço votos é para que apareça alguém ou alguma instituição que continue a fazer este serviço, embora se saiba que o Padre Weber tudo tem feito para que eles não fiquem sem comida… E não quero crer que haja alguém na Diocese ou no Governo que pense e diga que esses auxílios de emergência “são coisa para acabar”…. Mas pode acontecer, porque a moda agora é só pensar nos animais… e não nas pessoas! Qualquer dia vai aparecer uma proposta por aí propondo que os gatinhos e os cãezinhos tenham o direito de ir à Igreja assistir à missa… tal como já têm de ir ao restaurante!


Meus queridos! O meu querido Presidente Marcelo acaba de delegar no antigo Presidente Cavaco Silva a missão de representar Portugal no Japão, na cerimónia de entronização do novo Imperador do País do Sol Nascente, que vai decorrer na semana que agora começa. Não sei se é uma manobra política de Marcelo para tentar calar Cavaco que não pára de lançar umas farpas ao seu sucessor. Mas o que mais me intriga é que os serviços da Presidência continuam a referir-se a Cavaco Silva, como o Presidente Cavaco. É que eu pensei que em Portugal ainda não tinha pegado a moda de França e de outros países, em que presidente uma vez, é presidente de nome toda a vida. É que se for assim e a moda pegar, vai ser um tal, senhor presidente para cá e senhor presidente para lá… Estou a ver o novo imperador do Japão a dizer a Cavaco: senhor Presidente, apresente os cumprimentos do Japão ao senhor Presidente…


Ricos! Há gente que não sabe o que fazer para ser notícia. Ainda tenho os ouvidos quentes da polémica que se levantou quando o Magnífico Reitor da Universidade Coimbra se lembrou de proibir o consumo de carne de vaca nas suas cantinas, no que foi logo secundado pelo Primeiro-Costa que manifestou intenção de fazer o mesmo nos jantares oficiais do Reino. Agora o Magnífico de Coimbra volta a surpreender ao estimular a medicina chinesa em Portugal… Já estou a ver quem não conseguir os 19 e 20 valores para entrar em Medicina, a pedir para ir para medicina chinesa… na mais antiga Universidade portuguesa… Isto é que vai uma invasão amarela…


Meus queridos! A nível nacional – e bem – sucederam-se os votos de pesar pela morte de Freitas do Amaral, o último dos quatro cavaleiros do início da democracia partidária pós-25 de Abril. Contou-me a minha sobrinha-neta que na capital do rectângulo, na última Assembleia Municipal de Lisboa, foi proposto um voto de pesar pela morte daquele político. O dito cujo foi aprovado por maioria, pois PCP e Verdes votaram contra. Como não sou mulher de memória curta, resolvi ir vasculhar as actas da mesma Assembleia para ver qual tinha sido o comportamento dos seus membros, por altura, por exemplo, da morte de Cunhal. E cheguei ao dia 21 de Junho de 2005, dias depois da morte do velho líder comunista… E vi que o voto de pesar foi aprovado por unanimidade. Ou seja, basta isto para ver quem é democrata e onde está o revanchismo político. Todos votaram o pesar por Cunhal, mas os comunistas são incapazes de votar o pesar por Freitas do Amaral… E está tudo dito!


Ricos! Fiquei muita satisfeita quando soube que esta semana as lojas Papagaio, geridas pelo meu querido conterrâneo Nelson Correia abriram uma nova loja na antiga capital da Ilha do Arcanjo que é Vila Franca do Campo. Depois de um período difícil que o grupo passou devido à crise financeira de 2008 a 2014, que teve grande impacto na construção civil, Nelson Correia conseguiu equilibrar o barco e pô-lo  a navegar… Para ele e para a família que integra a equipa dirigente vai o meu repenicado beijinho com votos de muito sucesso…


 

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima